Livros

Teresa Laranjeiro


MGFamiliar . - Tuesday, September 04, 2012

"Diálogo com a Morte" de Marie Hennezel. Editorial Notícias

Quando vejo ou ouço perguntar a outros, qual o filme da sua vida, o livro que mais o tocou, a canção preferida, etc...etc..., ponho-me a pensar que se calhar não conseguiria responder.

Mas afinal qual será o livro que mais me tocou? Aquele que li muitas vezes e ainda hoje ao reler certas páginas, não consigo evitar as lágrimas? Aquele que vinha para casa a correr só para continuar a ler, sem parar, tal o gozo que me dava? Podia nomeá-los porque me lembro, mas não os poderia incluir em "o livro que mais me tocou". Pensei um bocado e descobri um livro que me tocou, porque me mudou como médica e como pessoa, para melhor, claro.

"Diálogo com a Morte" de Marie de Hennezel, publicado em 1997 da Editorial Notícias, foi-me recomendado por uma pessoa não ligada à medicina e nunca o teria comprado só pelo título. É a tradução do francês "La morte intime", um nome muito mais feliz.

A autora, psicóloga, acompanhou François Miterrand na sua doença e é ele mesmo que prefacia o livro.

Os seus relatos dos últimos tempos de vida de doentes terminais que acompanhou, fizeram-me perceber que esses dias, esses instantes podem ser os mais significativos e importantes para os próprios e suas famílias.

Tenho emprestado o livro sucessivamente aos meus internos e alguns colegas e agora nem sei onde ele para.

Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image