A não perder

Prevenção da recorrência da infecção por Clostridium difficile


MGFamiliar ® - Monday, January 25, 2016



Pergunta clínica: A administração de esporos não toxicogénicos de Clostridium difficile (C difficile) previne a recorrência desta infeção em adultos?

Enquadramento: Os doentes com infecção por C difficile têm recorrência da doença em cerca de 25 a 30%.

Desenho do estudo: Estudo randomizado controlado com placebo e duplamente cego. A investigação decorreu entre junho de 2011 a junho de 2013, em 44 centros nos Estados Unidos da América, no Canadá e na Europa. Os investigadores identificaram 173 doentes, com idade igual ou superior a 18 anos, com o diagnóstico de infeção por C difficile nos últimos 28 dias (episódio inicial ou primeira recorrência até 8 semanas após a data de diagnóstico). Todos os doentes completaram o tratamento com metronidazol, vancomicina oral ou ambos durante 10 a 21 dias e todos recuperam clinicamente. Após o tratamento (com metronidazol e/ou vancomicina) os doentes foram distribuídos aleatoriamente em 4 grupos: o grupo controlo medicado com placebo (N=43)  e três outros grupos aos quais foram administradas diferentes doses (104/d ou 107/d) de esporos não toxicogénicos de C difficile durante 7 a 14 dias. Os doentes reportaram diariamente a eventual presença de efeitos adversos e/ou recorrência de sintomas e foram recolhidas amostras de fezes. Durante 26 semanas 97% dos doentes foram seguidos.

Resultados: A recorrência de C difficile ocorreu em 30% no grupo placebo e em 11% nos doentes que receberam esporos não toxicogénicos (NNT= 5.3; 95% CI 2.9-17.9). A colonização fecal com esporos não toxicogénicos de C difficile foi verificada em 69% dos doentes tratados com esporos não toxicogénicos. Efeitos adversos incluindo diarreia e dor abdominal, foram a causa de abandono do estudo em 7% dos doentes do grupo placebo e em 3% dos indivíduos medicados com esporos não toxicogénicos de C difficile.

Conclusão: Nos doentes com infecção por C difficile que recuperaram clinicamente após tratamento com metronidazol e/ou com vancomicina, a administração oral de esporos esporos não toxicogénicos foi bem tolerada e aparentemente segura. Os esporos não toxicogénicos de C difficile colonizaram o trato gastrointestinal e diminuíram significativamente a recorrência da doença.

Comentário: A infecção por C difficile tem maiores taxas de diagnóstico em meio hospitalar, contudo existem vários casos que são diagnosticados pelo Médico de Família em contexto de Cuidados de Saúde Primários. Tendo em conta esta investigação a administração de esporos não toxicogénicos de C difficile pode ser um meio para prevenir a recorrência. É de salientar o baixo número necessário para tratar. Algumas limitações do estudo a salientar são o número reduzido de doentes investigados e o facto da média da idade dos doentes ser, nos diferentes grupos, entre 58 a 64 anos de idade o que limita as eventuais conclusões para os grupos de risco e vulneráveis.

Artigo original:JAMA

Por Ana Luísa Pires, UCSP Santa Maria II 




Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image


Recent Posts


Tags

 

Archive