A não perder

Ioga e meditação após cancro da mama


MGFamiliar ® - Thursday, February 11, 2016



Pergunta clínica: Poderá a prática de ioga e meditação aliviar os sintomas da menopausa em mulheres que tiveram cancro da mama quando comparada com o tratamento habitual?

Desenho do estudo: Estudo randomizado, realizado no Serviço de Ginecologia do Hospital de Duisburg, na Alemanha. As participantes incluídas tinham idade entre os 30 e os 65 anos, tratadas para cancro da mama não metastático com cirurgia, radioterapia e/ou quimioterapia e com sintomas de menopausa no mínimo ligeiros (5 pontos na escala “Menopause Rating Scale”). As mulheres foram divididas em dois grupos: grupo do ioga (19 participantes) e grupo do tratamento habitual (21 participantes). O grupo do ioga teve aulas semanais de 90 minutos de ioga durante 12 semanas consecutivas e as mulheres eram encorajadas a praticar ioga e meditação em casa.

Resultados: Nas semanas 12 e 24, os sintomas de menopausa eram menores no grupo do ioga quando comparado com o grupo do tratamento habitual. Os valores da qualidade de vida eram melhores às 12 semanas no grupo do ioga e os sintomas somato-vegetativos e urogenitais eram menores às 24 semanas também neste grupo. A melhoria da fadiga foi também maior no grupo do ioga às 12 e 24 semanas. Não existiu diferença significativa para a ansiedade e depressão entre os dois grupos. Não foram reportados efeitos adversos significativos.

Comentário: Nas mulheres com cancro de mama está contra-indicado o tratamento hormonal para os sintomas de menopausa. A prática de ioga e de meditação parece ter efeito positivo, pelo menos a curto prazo, nas mulheres com estas queixas. É segura, personalizável e tem boa adesão terapêutica. O mecanismo parece estar relacionado com o efeito de grupo (ao praticar exercício com pessoas com a mesma condição) e com o foco no próprio corpo, que aumentará a auto-estima e melhorará a imagem corporal pessoal. No futuro, outros estudos poderiam investigar a abordagem acima descrita, noutras patologias com relação forte com a auto-imagem, como a obesidade e as perturbações depressivas.

Artigo original: Cancer

Por José Mendes, USF Mondego



Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image


Recent Posts


Tags

 

Archive