A não perder

Meta-análise: psicoterapia cognitivo-comportamental em CSP


MGFamiliar ® - Wednesday, April 13, 2016




Pergunta clínica: A psicoterapia cognitivo-comportamental é eficaz no tratamento da ansiedade e da depressão em contexto de Cuidados de Saúde Primários?

Enquadramento: A terapia cognitivo-comportamental tem sido cada vez mais utilizada nas suas diversas formas: presencial, via telefone, via online ou baseada em guias de autoajuda. No entanto, a maioria das investigações têm-se concentrado na utilização desta terapia em serviços especializados de Saúde Mental e nenhuma meta-análise anterior avaliou a eficácia da mesma nos Cuidados de Saúde Primários (CSP).

Desenho do estudo: Meta-análise de ensaios clínicos que avaliaram a eficácia da terapia cognitivo-comportamental na patologia ansiosa e depressiva. Os autores realizaram a pesquisa em quatro bases de dados (PsycINFO, CINAHL Plus with full text, MEDLINE e EMBASE) e incluíram estudos publicados a partir de 1997, que decorreram nos CSP ou com utentes dos CSP.

Resultados: De um total de 1269 artigos encontrados, foram incluídos vinte e nove ensaios clínicos em três meta-análises diferentes: a) terapia cognitivo-comportamental vs ausência de tratamento (n=7); b) terapia cognitivo-comportamental vs tratamento habitual (consultas regulares, suporte emocional, conselhos, medicação, entre outros) (n=14); c) terapia cognitivo-comportamental + tratamento habitual vs tratamento habitual (n=9). A terapia cognitivo-comportamental mostrou-se mais eficaz quando comparada com ausência de tratamento (d=0.59; IC 95% = 0.32 – 0.85) e quando comparada com o tratamento habitual para a ansiedade e depressão nos CSP (d=0.48; IC 95% = 0.27 – 0.69). Por fim, no que respeita à sintomatologia depressiva, a terapia cognitivo-comportamental associada ao tratamento habitual em CSP mostrou ainda ser mais eficaz que o tratamento habitual isoladamente (d = 0,37; IC 95% = 0.25 – 0.50).

Comentário: A terapia cognitivo-comportamental é das intervenções psicoterapêuticas que mais tem sido testada e avaliada. Os resultados desta meta-análise indicam a sua eficácia no tratamento da ansiedade e da depressão no âmbito dos CSP, podendo justificar-se o investimento nesta terapia. Além disso, análises de custo-efetividade apontam para que a terapia cognitivo-comportamental seja tão custo-efetiva, a curto prazo, como a terapêutica farmacológica para a depressão, ansiedade e outras perturbações mentais (Layard, 2006). Contudo, há que reconhecer que, presentemente, o acesso a este tipo de psicoterapia é ainda muito difícil na realidade nacional, quer ao nível do Serviço Nacional de Saúde, quer ao nível privado. Escasseiam profissionais com treino e experiência neste tipo de intervenção psicoterapêutica.

Artigo original:Family Practice

Por Marlene Barros, USF do Minho   






Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image


Recent Posts


Tags

 

Archive