Prescrição Racional

Estudo RCT: metformina na diabetes tipo 1


MGFamiliar ® - Thursday, June 02, 2016


Pergunta Clínica: Em adolescentes diabéticos tipo 1 com excesso de peso ou obesidade, a terapêutica com insulina e metformina será mais efetiva no controlo glicémico comparada com a monoterapia com insulina?

Desenho do estudo: Ensaio clínico randomizado controlado, multicêntrico e duplamente cego. Incluiu 140 adolescentes com idades entre os 12,1 e os 19,6 anos, com média de duração da diabetes tipo 1 de cerca de 7 anos, média de IMC no percentil 94, média de insulina diária de 1,1U/Kg e HbA1c média de 8,8%. Ambos os grupos tinham como HbA1c basal média 8,8%. Marcador primário: diferenças na HbA1c basal após 26 semanas. Marcadores secundários: diferenças nos índices de monitorização glicémica, insulina diária total necessária, IMC, circunferência abdominal, composição corporal, pressão arterial e lípidos.

Resultados: Após 13 semanas de seguimento houve maior redução da HbA1c no grupo em terapêutica com metformina (-0,2%) comparado com o grupo placebo (-0,1%). Contudo, esta diferença não foi sustentada às 26 semanas, tendo ambos os grupos apresentado diferenças de HbA1c de 0,2%. Às 26 semanas de seguimento, a insulina diária total por kg de peso corporal foi reduzida pelo menos em 25% da basal em 16 (23%) dos participantes do grupo da metformina vs 1 (1%) participante do grupo placebo. No grupo da metformina, 17 (24%) dos participantes tiveram uma redução do IMC z score igual ou superior a 10% em comparação com 5 (7%) dos participantes do grupo placebo. Os participantes incluídos no grupo da metformina reportaram mais efeitos gastrointestinais (diferença média de 36%).

Conclusão: Este estudo mostrou que adicionar metformina à insulina em adolescentes com diabetes tipo 1 e excesso de peso, não melhora o seu controlo glicémico após 6 meses de terapêutica. Dos múltiplos marcadores secundários estudados, os resultados apenas favorecem o uso de metformina para a dose de insulina e medidas da adiposidade. Por outro lado, o uso da metformina aumenta o risco de efeitos adversos gastrointestinais. Assim sendo, o uso de metformina em adolescentes com diabetes tipo 1 e excesso de peso/obesidade não melhora o controlo glicémico.

Comentário: Atendendo aos efeitos reconhecidos da metformina na diminuição ponderal e à crescente prevalência do excesso de peso/obesidade nos adolescentes o estudo realizado é muito pertinente, pois poderia trazer uma nova arma para o combate à obesidade aliado ao controlo glicémico dos adolescentes com diabetes tipo 1, o que não se confirmou. Por outro lado, os efeitos gastrointestinais amplamente associados ao uso da metformina poderiam trazer um problema ao seu uso generalizado. A educação para a saúde relativamente a alimentação e exercício físico do agregado familiar, continua assim, a ser a melhor arma para a perda ponderal e concomitantemente melhoria do controlo glicémico.

Artigo original:JAMA

Por Marta Guedes, UCSP Sul,  Pinheiro da Bemposta



Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image


Recent Posts


Tags

 

Archive