Médicos portugueses pelo mundo

Dra. Susana Silva @ Dublin


MGFamiliar ® - Sunday, March 02, 2014

 

 

 

Desde quando saíste de Portugal?

Saí de Portugal em Outubro de 2013.

 

O que te levou a optar por ir para a Irlanda?

Escolhi a Irlanda, primeiro porque é um pais de língua inglesa, onde me sinto mais à vontade, e depois porque era onde podia trabalhar com Médica de Família, como é a minha formação. Noutros países como o Reino Unido ou a Austrália, essa formação não é automaticamente reconhecida.

 

O que te surpreendeu mais até agora?

Ainda é tudo muito recente, mas existem diferenças muito significativas. O trabalho burocrático que temos em Portugal [aqui] é muito facilitado pela administrativa que trata da prescrição crónica e até dos pedidos de referenciação. A  colheita de sangue e urina para analise é feita no próprio centro de saúde pela enfermeira. O medico de família realiza mais procedimentos, como a crioterapia ou a colocação de catéteres urinários, por exemplo.

 

O sistema de saúde irlandês pode ser um modelo para Portugal? Porquê?

Ainda não estou de todo familiarizada com este sistema, mas julgo que o sistema de saúde português é muito melhor. Cá apenas a Saúde Materna é gratuita, e crianças a partir das 6 semanas já pagam consulta, num sistema de saúde que é privado. Cerca de um terço das pessoas tem um cartão que permite livre acesso aos cuidados de saúde primários, tendo de pagar todo o resto. E os medicamentos não têm qualquer comparticipação do estado. Por outro lado, e decorrente do facto de ser privado, as pessoas são mais criteriosas na hora de recorrer ao medico, as instalações são muito boas e o material necessário esta sempre disponível.

 

Quais os conselhos práticos que podes dar a um colega português que queira estagiar/trabalhar na Irlanda ?

Quanto a conselhos práticos, havendo alguma flexibilidade, não há problemas de maior. Os irlandeses estão habituados a ter médicos estrangeiros e facilitam ao máximo a integração. São muito prestáveis e compreensivos! Basta um sorriso e ajudam-nos no que for preciso! Nestas três semanas não senti por um minuto que estava sozinha, mas numa equipa multidisciplinar de enfermeira, farmacêutico, fisiatra, e até de saúde pública!

 

Onde te imaginas daqui a 10 anos?

Honestamente, não sei muito bem onde estarei sequer para o ano, mas com certeza não voltarei tão cedo para Portugal...

 

Entrevista conduzida por Luís Monteiro  

 

 

Comments
João Miguel Covas commented on 10-Mar-2014 10:50 PM
A especialidade de mgf não é reconhecida no Reino Unido? Mas no site do General Medical Council diz que sim.

http://www.gmc-uk.org/doctors/registration_applications/eea_evidence_portugal.asp

Basta o "Título de especialista em Medicina Geral e Familiar" para entrar no GP Register. Ou estou errado?
Susana Silva commented on 13-Mar-2014 12:33 PM
Ola, João!
Quando andei a investigar, em Junho do ano passado, exigiam estagio profissional e exame para reconhecimento da especialidade, mas sem duvida que as coisas possam estar mais facilitadas pois a escassez de médicos e enorme!
Se o Reino Unido 'e de facto opção para ti, sugiro entrares em contacto com algum dos colegas que já la trabalhem. Facilmente encontras alguém no grupo do Facebook Médicos Portugueses no Estrangeiro.
Boa sorte!
João Miguel Covas commented on 15-Mar-2014 03:12 PM
Olá Susana,

Obrigado pela resposta. De facto já tinha ouvido alguns relatos de pessoas a quem foram exigidos alguns requisitos, tais como exame de língua Inglesa, experiência profissional no NHS, etc. No entanto esses casos são na maioria das vezes para posições em Londres ou outras áreas em que existe grande concorrência para os lugares existentes. No entanto essas exigências não são exclusivas para especialidade de MGF, sendo transversais a todas as outras especialidades hospitalares.

Em relação ao processo de acreditação da especialidade em si, pelo que tenho ouvido não existe grande diferença entre a especialidade MGF e as restantes especialidades em que existe reconhecimento directo do titulo de especialista. No entanto apenas posso falar por aquilo que tenho lido pela internet, e dos relatos que estão espalhados pelo facebook.

Mais uma vez obrigado pela atenção.
Cláudia commented on 27-Jul-2014 03:48 PM
Olá Susana,

Obrigada pela partilha!
Por acaso sabes como funciona, e o que é mais aconselhável, em relação à irlanda: ir logo após o Ano Comum ou só após a especialização? E o Harrison é preciso, se for logo após o Ano Comum?

Obrigada!


Post a Comment




Captcha Image