Editorialblog

Atualizações de recomendações da USPSTF


Carlos Martins - Sunday, July 22, 2018


 


A United States Preventive Services Task Force (USPSTF) efetuou recentemente a atualização as seguintes três recomendações:

Cardiovascular Disease, Risk Assessment With Nontraditional Risk Factors, 2018

A USPSTF concluiu que a evidência científica atualmente disponível é insuficiente para avaliar o balanço entre benefícios e danos provenientes do uso adicional do índice tornozelo-braço, nível de proteína C reativa de alta sensibilidade ou o score de cálcio coronário, aos fatores de risco tradicionalmente usados na avaliação do risco cardiovascular em adultos assintomáticos para prevenir eventos de doença cardio e cerebrovascular. Recomendação grau I.

Peripheral Artery Disease and Cardiovascular Disease Risk Assessment With the Ankle-Brachial Index, Screening, 2018

A USPSTF concluiu que a evidência científica atualmente disponível é insuficiente para avaliar o balanço entre benefícios e danos do rastreio de doença arterial periférica e avaliação do risco de doença cardiovascular com o índice tornozelo-braço (ver vídeo no final deste post) em adultos assintomáticos. Recomendação grau I.

Osteoporosis to Prevent Fractures, Screening, 2018

A USPSTF recomenda o rastreio da osteoporose por densitometria para prevenir fraturas osteoporóticas em mulheres na pós-menopausa com menos de 65 anos desde que apresentem risco aumentado de osteoporose após a aplicação de um instrumento de avaliação de risco de osteoporose (p. ex. FRAX). Recomendação grau B.

Estas revisões são interessantes e devem merecer a nossa reflexão, quer dos colegas de Medicina Geral e Familiar, quer de outras especialidades envolvidas como, por exemplo, Cardiologia, Medicina Interna, Reumatologia, entre outras.

É também de destacar a importância que é dada à avaliação entre os benefícios e os danos para cada intervenção preventiva. Por vezes, com o ímpeto de avaliar o risco, com o ímpeto de rastrear, não se pára para pensar nos potenciais danos de determinada intervenção. Por exemplo, quando o score de cálcio coronário se tornou popular, a quantos pacientes assintomáticos não foi comunicado que tinham umas artérias idênticas às pessoas com uma idade muito superior?! Com isso, quanta preocupação, quanto sofrimento psicológico infligido desnecessariamente, sem consequências práticas, sem impacto na redução da morbi-mortalidade cardiovascular.

A importância do lado B” na prevenção foi um dos motivos que levou o EUROPREV a escolher para “main theme” do II European Forum on Prevention and Primary Care  o tópico “Medical prevention: the balance of benefits and harms. Quando falamos de rastreios de adultos assintomáticos, estamos a falar de uma intervenção preventiva em pessoas que se sentem bem. Estas intervenções podem quase sempre acarretar algum dano pelo que é fundamental ter prova científica de que os benefícios superam os eventuais danos para que essas intervenções sejam recomendadas.  Fica o convite a todos os colegas para que compareçam neste congresso que, acreditamos, tem um programa científico pertinente e relevante para a nossa prática clínica. Podem consultar o programa aqui...











Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image


Recent Posts


Tags

 

Archive