MaisOpinião - Carlos Arroz

Medicina de Torna Viagem


- Sunday, April 22, 2012

Completou-se, como previsto, o meu ciclo sindical em termos executivos. Sou agora Presidente do SIM podendo aliar a responsabilidade representativa do cargo ao que desejava e ansiava há muito: voltar a estar próximo dos doentes, a senti-los, a olhá-los, a percebe-los, a ouvi-los a dar-lhes tempo, alguns caminhos e algumas questões.

Associei ao regresso à Medicina Familiar o regresso às origens: a minha Beira, este pequeno espaço magnífico entre Estrela, Açor e Gardunha, a minha cidade natal e as suas particularidades e recantos nunca esquecidos, os cheiros, as gentes, esta fruta magnífica, aqueles espigos inigualáveis de grandiosos nabos ou tronchudas couves galegas, este ar, este azul do céu, quase o do Arizona, livre das matizes poluidoras e da proximidade omnipresente do Atlântico, as estrelas que estão sempre lá mas aqui pregnam falando-nos provocantemente nas suas cintilações.

Os meus novos chefes, Director Executivo, Presidente do Conselho Clínico e Coordenadora da UCSP, honrando a tradição de sempre, reservaram-me o pior, proporcionando a quem estava a ansiada rotação e aproximação da Sede.

Atribuíram-me Bogas de Baixo, Janeiro de Cima, Bogas de Cima, Barroca do Zêzere e S. Martinho, 1543 almas incrustadas na zona do Pinhal, na extrema do Concelho do Fundão, fronteira a Pampilhosa da Serra e às Minas da Panasqueira, com o seu volfrâmio, famoso pela cobiça dos nazis alemães e a sua máquina de guerra, que tantos ricos fez à excepção de quem esventrou as serras para o extrair.

A juntar a estas cinco extensões de Saúde mais dois dias de Consulta Aberta, politicamente bem colocada nas instalações da antiga Urgência do Hospital do Fundão, não fossem os doentes perceber a desqualificação e o povo amotinar-se perante as câmaras, liderados por autarcas ciosos do que é “seu”.

Segunda-feira lá me meti a caminho depois de uma maratona para as devidas autorizações, passwords, vinhetas, batas, horários, ADSE, processo biográfico, cartão de identificação, com a competente fotografia tipo passe.

Parti do Fundão sem conhecer com quem iria trabalhar, onde eram as extensões, o que fazer. Secretamente ansioso por saber se a minha auto-formação em SAM, via tutoriais made by Eloy (vénia para a USF Lethes) era suficiente para o embate e para as necessidades dos doentes.

Dezenas de curvas em serpente emplumada por milhares de cerejeiras em flor, o Zêzere sempre à nossa direita, estrada estreita mas de bom piso, pouco movimento que para aí e daí é terra de resistentes. Souto da Casa, Lavacolhos, Silvares, a recordar festas de partir bombos e de disputas com os vizinhos do Paúl, o xisto lembrando sempre onde estamos, a subida para a Barroca, deixando S. Martinho e o seu escasso povoado à esquerda, a brutalidade das escórias das minas, Pinheiros e mais pinheiros, por vezes a severidade do negro mal coberto de verde por um inverno escasso, lembrando aflições tardias em matas mal tratadas, os medronhos no seu majestoso verde, autóctones, competindo em beleza com a urze, a giesta, o tojo, o rosmaninho, tudo exuberante de flor, atraindo abelhas melíferas na sua nobre missão.

Bogas de Cima. Pequeno povoado, casas humildes, loja de animais por baixo donos em cima, extensão de Saúde em rua estreita de velho empedrado, carro no largo, caminho a pé, bom tarde sodotor, bem vindo à nossa territa, quantos marco, todos que o povo não parece muito e espera foi longa, sala esconsa, secretaria escassa, inundada de excessos da Indústria Farmacêutica que a funcionária mantém porque ninguém lhe indica o destino óbvio, marquesa transformada em belo armazém onde a circular de 1980 se mistura com uma caixa de luvas disposable, made in China e provided by Indústria Farmacêutica, quatro simpósios estrategicamente colocados por baixo da secretaria, testemunhas do poisa pés da minha pequena antecessora, computador e impressora ligados, siga, pode entrar, então sodoutor agora vem dar-nos consulta, sim, claro, uma hora de caminho esquecem-se com essa humildade e esse sorriso carente no olhar, as receitas vão saindo, Deus me valha, a mim, ateu, que a minha antecessora fez um excelente registo clínico, incluído MCDT, Deus a conserve assim e obrigado, até quinta sodoutor, olhem que venho mais cedo e podemos ver mais doentes, boa viagem, esperem, deixem-me voltar ao posto que as curvas são muitas e a bexiga não aguenta, tenho que estudar melhor a tiróide, bolas tantas com tiroidite auto-imune, e terão dinheiro para tanto remédio, alguns são sacos, não se confundirão, sós, filhos emigrados, muitos na América o que estende as visitas para anos de intervalo e a serra, imensa, por todo o lado, bolas o que será viver aqui, isolados, é bom ser Médico de Família, tenho que trazer lancheira, não vai tempo para almoçar onde seja quando for manhã e tarde, nem me parece que haja onde, não me posso esquecer de umas peças de fruta, talvez não seja mau de todo num resguardo de estrada, talvez Keith Jarrett e o seu trio queiram acompanhar a minha salada de grão com um dos seus concertos no Blue Note...

Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image