A não perder

Diarreia crónica: como investigar?

MGFamiliar ® - Thursday, May 14, 2020



Pergunta clínica: Quais os exames complementares de diagnóstico a pedir perante um adulto com diarreia crónica?

Enquadramento: Define-se como diarreia crónica no adulto a alteração da consistência das fezes entre os tipos 5 e 7 da classificação de Bristol e o aumento da sua frequência durante, pelo menos, 4 semanas.

Desenho do estudo: Orientações clínicas publicadas pela “American Gastroenterological Association”. Foi realizada uma revisão sistemática e atribuído o nível de evidência usando a “Grading of Recommendations Assessment, Development and Evaluation” (GRADE). O trabalho de revisão foi realizado por uma equipa constituída por dois gastrenterologistas, um médico de cuidados saúde primários e um investigador com experiência na aplicação do GRADE. 

Resultados: As principais recomendações para a avaliação de adultos com diarreia crónica são: em caso de suspeita de Doença Inflamatória Intestinal, dever-se-á requisitar a calprotectina fecal ou a lactoferrina fecal. Para um eventual diagnóstico de doença celíaca, dever-se-á requisitar Anti-Transglutaminase IgA/IgG. É ainda recomendado pesquisar a presença de Giardia e diarreia por má absorção de ácidos biliares. Não está recomendada a pesquisa de velocidade de sedimentação, proteína C reactiva. O exame parasitológico das fezes só é recomendado caso o doente seja natural ou tenha viajado de uma área sinalizada como alto risco.

Comentário: Sendo a diarreia crónica um problema com impacto na qualidade de vida dos pacientes, estas orientações clínicas podem ser um auxílio na sua abordagem diagnóstica. Uma das principais limitações destas orientações clínicas resido no facto de não se recomendar uma ordem específica para a realização de testes diagnósticos, nem sequer um algoritmo de abordagem. Finalmente, ressalve-se que um dos membros da equipa relatou relações financeiras com empresas que fabricam produtos de diagnóstico ou tratamento para distúrbios gastrointestinais.

Artigo original: Gastroenterology

 Por Andreia Ramalho, UCSP Sever do Vouga 





Recent Posts


Tags

 

Archive