A não perder

Acuidade da análise urinária com tira-teste nas infeções do trato urinário nos lactentes


MGFamiliar ® - Thursday, August 09, 2018



Pergunta clínica: Será a análise urinária com tira-teste um exame fiável para o diagnóstico de infeções do trato urinário nas crianças com idade inferior ou igual a 2 meses?

Desenho do estudo: Estudo coorte prospetivo em 26 centros com crianças de idade ≤ 60 dias que apresentavam febre. Foram analisadas as características do exame de urina, com e sem bacteremia associada, usando 2 definições de infeções do trato urinário: crescimento de ≥50.000 UFC/mL ou ≥10.000 UFC/mL. Definiu-se que um exame de urina com tira-teste seria positivo na presença de esterase leucocitária, nitritos ou piúria (> 5 leucócitos/ campo).

Resultados: Dos 4147 lactentes analisados, 289 (7,0%) apresentaram infeções do trato urinário com contagens de colónias ≥50.000 UFC/mL. Destas, apenas 27 (9,3%) apresentaram bacteriémia. No total dos casos de infeção urinária com contagens de colónias ≥50.000 UFC/mL, o resultado positivo da análise com tira-teste teve uma sensibilidade de 94%, independentemente da existência ou não de bacteriémia. A especificidade dos testes foi de 91% em todos os grupos. Estes resultados correspondem a um valor preditivo positivo de 43% (39% - 47%) e um valor preditivo negativo de 100% (99% - 100%). 
Considerando como cut off as contagens de colónias ≥10.000 UFC/mL, a sensibilidade do exame de urina foi de 87% e a especificidade manteve o valor de 91%. Estes dados foram também avaliados segundo uma estratificação etária em dois grupos (≤ 28 dias ou 29-60 dias de idade), no entanto não se encontrou diferenças.

Conclusão: O exame de urina é altamente sensível e específico para o diagnóstico de infeções do trato urinário. A acuidade foi maior na presença de ≥50.000 UFC/mL, destacando-se o elevado valor preditivo negativo.

Comentário: Este estudo é inovador, uma vez que é o primeiro a ser realizado em crianças com idade inferior ou igual a dois meses. Estes dados podem condicionar uma revisão das normas de orientação clínica em situações de lactentes com febre e sem foco infecioso. Por outro lado, é necessário ter em consideração que estes resultados são para amostras de urina obtidas por cateter ou aspiração suprapúbica, dado que as amostras de urina coletadas nesta faixa etária são frequentemente contaminadas.

Artigo original: Pediatrics

Por Ana Sofia Fontes, USF Uma Ponte para a Saúde 




Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image


Recent Posts


Tags

 

Archive