A não perder

USPSTF: rastreio da apneia do sono


MGFamiliar ® - Sunday, February 25, 2018




Pergunta Clínica: Fará sentido o rastreio da síndrome de apneia obstrutiva do sono em adultos assintomáticos?

Enquadramento: A prevalência estimada da síndrome de apneia obstrutiva do sono nos Estados Unidos da América é de 10% para síndrome de apneia obstrutiva do sono ligeira, 3,8% para moderada e 6,5% para a grave. A prevalência atual poderá ser maior, dada a crescente prevalência de obesidade. A síndrome de apneia obstrutiva do sono está associada a uma maior mortalidade precoce (independentemente da causa), a um aumento da morbilidade (nomeadamente por doença cardiovascular), e a uma menor qualidade de vida. Nesse sentido foi pedido à United States Preventive Services Task Force uma nova recomendação sobre o eventual benefício da realização de um rastreio de síndrome de apneia obstrutiva do sono em adultos assintomáticos ou com sintomas não reconhecidos.

Desenho do estudo: Revisão sistemática da evidência, em que foi avaliado o desempenho de questionários de rastreio de síndrome de apneia obstrutiva do sono, a precisão diagnóstica de monitores portáteis e a associação entre o índice de apneia-hipopneia e os resultados de saúde.

Resultados: Foram incluídos 110 estudos. Foi avaliada uma ampla gama de questionários de rastreio e ferramentas de predição (Epworth Sleepiness Scale, Wisconsin Sleep Questionnaire, Multivariable Apnea Prediction tool) em populações selecionadas, mas não foram validados para fins de rastreio em populações no contexto de cuidados de saúde primários. Não foi encontrada qualquer evidência de dano direto do rastreio, mas não foi possível determinar a magnitude dos benefícios ou danos causados pelo rastreio de síndrome de apneia obstrutiva do sono .

Conclusão: A evidência atual disponível é insuficiente para avaliar o equilíbrio de benefícios e danos do rastreio de síndrome de apneia obstrutiva do sono em adultos assintomáticos.

Comentário: A United States Preventive Services Task acrescenta que são necessários mais estudos direcionados para recomendar ou não o rastreio de síndrome de apneia obstrutiva do sono em doentes assintomáticos em cuidados de saúde primários. Os questionários podem ser úteis para explorar sintomas em doentes de risco elevado para síndrome de apneia obstrutiva do sono. Nos casos pertinentes, a referenciação para os cuidados de saúde secundários pode permitir um início precoce da terapêutica, obtendo ganhos em saúde para o doente. 

Artigo original: JAMA

Por Luís Paixão, UCSP Fernão de Magalhães




Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image


Recent Posts


Tags

 

Archive