Para além da Medicina

Vincent

MGFamiliar ® - Saturday, August 18, 2018



Entrámos no posto de turismo. Era a primeira vez que visitávamos aquela localidade...
- Bom dia, em que posso ajudar?
- Será que nos poderia dar algumas sugestões sobre o que visitar em Arles?
- Sim, com muito gosto. Tem aqui um mapa de Arles. Encontramo-nos aqui. Aconselho-o a visitar o teatro romano que fica aqui muito próximo e depois poderá visitar também o Anfiteatro e tem ainda o museu, os banhos e o Fórum...
- Peço-lhe desculpa por interromper, mas nós estávamos mais interessados nos locais relacionados com van Gogh.
Com cara de algum enfado e depois de um movimento respiratório mais lento e profundo, a senhora do Posto de Turismo lá passou a responder:
- Ah, para os locais de van Gogh, dispõe deste guia. Poderá visitar...

...

Em boa verdade, fiquei algo surpreendido com os espetaculares vestígios de Arelate (nome de Arles no período do Império Romano).  Reconheço que desconhecia completamente esta pérola do Império Romano, mas foi pelo Vincent que fui até Arles.

Para quem gosta da pintura impressionista ou pós-impressionista, sabe como era importante para os pintores impressionistas o captar da cor, da luz, do momento e do local em que se encontravam a pintar. Frequentemente, estes pintores viajavam em busca de locais “especiais” que lhes permitissem inspiração e novos desafios. Vincent van Gogh encontrou em Arles e nas cores e luz da Provença as características ideais para se inspirar e desenvolver o seu trabalho. Muitos dos locais onde os impressionistas do século XIX criaram algumas das suas obras-primas existem ainda e podem ser visitados. Há cerca de 6 anos, já tinha tido a interessantíssima experiência de visitar a casa de Claude Monet em Giverny. Desta vez, fui à procura da Route van Gogh, ao encontro dos passos de Vincent. E foi muito interessante! Olhei para aqueles campos e facilmente reconheci o "The Harvest". Ao percorrer aquelas ruas ladeadas de casas pintadas em tons de amarelo com portadas de madeira nas janelas, foi fácil transportar-me para o mundo da "The yellow house".  


Muitos dos pontos onde Vincent terá pintado os seus quadros, estão sinalizados com um painel informativo que contém também uma imagem do quadro ali pintado. No final deste texto, destaco e partilho alguns dos principais pontos que visitei: "Terrace of a café at Night (Place du Forum)”, “Starry Night”, “Entrance to the public gardens in Arles” e "Le jardin de la maison de santé a Arles". Passo a passo, pensamento a pensamento, pelas ruas de Arles, ocorre-me a turbulência da tua mente, Vincent, a compulsão com que pintavas, o teu sofrimento, mas também a alegria inicial e o entusiasmo por cada tela em branco que deixava de o ser. E, claro, a tua genialidade criativa.

Vincent. Muito obrigado, Vincent.


  

“Starry Night”

  


“Entrance to the public gardens in Arles”

  

"Le jardin de la maison de santé a Arles"

  


Por Carlos Martins


PS.: para os interessados na Route van Gogh, vale a pena visitar este site.





Reviver o passado em Liverpool

MGFamiliar ® - Thursday, July 05, 2018






Uma vida, muita música e os lugares por onde se passou... 







Para além da diversão que proporciona, este vídeo mostra-nos uma pessoa em paz com o seu passado e com o percurso da sua vida... 

E isto também é ter saúde! ;) 







O que dá sentido à vida

MGFamiliar ® - Thursday, March 08, 2018




Emily Esfahani Smith, autora e jornalista, efectuou uma extensa investigação para tentar descobrir o que contribui para que se viva uma vida boa e com bem-estar psicológico. Chegou à surpreendente conclusão que o mais importante não é ser feliz, o mais importante é viver-se uma vida com sentidoE o que é que dá sentido à vida? Emily refere que existem quatro pilares fundamentais que contribuem para que uma pessoa tenha uma vida com sentido: 

1. Viver com um sentimento de "pertença

2. Ter um "propósito" na vida 

3. Viver momentos de "transcendência

4. Criar uma "narrativa" para a sua própria vida




"Happiness comes and goes. But when life is really good and when things are really bad, having meaning gives you something to hold on to."











Como melhorar o diálogo político

MGFamiliar ® - Thursday, November 02, 2017



A polarização política é uma realidade que se tem exacerbado nas últimas décadas em múltiplos países. O afastamento dos polos políticos, esquerda vs direita, liberais vs conservadores, torna o diálogo muito mais difícil, assim como a construção de consensos e de compromissos entre as duas partes. O diálogo no centro político tem sido um garante de paz e prosperidade, enquanto o distanciamento, a radicalização dos extremos políticos, apenas gera uma espiral de violência e de ódio. 

Nesta apresentação, Rob Willer apresenta algumas sugestões sobre como melhorar o diálogo político e como reaproximar os extremos da política.  











Amar pelos dois

MGFamiliar ® - Tuesday, May 02, 2017





É difícil ficar-se indiferente à junção destas duas obras de arte:

a música e a voz dos irmãos Sobral 
&
a curta-metragem de animação realizada por Glen Keane.













O indivíduo, o seu meio e a sua arte

MGFamiliar ® - Friday, January 27, 2017






TUBULAR BELLS
Mike Oldfield







Para nós, que somos médicos da "PESSOA", este documentário dá-nos a oportunidade de analisar essa interface tão fascinante: o indivíduo, o seu meio, a sua arte e a dialética da evolução que se vai estabelecendo no curso de uma vida. Até podemos não conhecer o título da obra, "Tubular Bells", mas todos conhecemos alguns daqueles acordes, já os ouvimos num ou noutro momento...  Trata-se de uma obra musical icónica da música da década de 70, o primeiro disco editado pela Virgin Records de Richard Branson, um álbum apenas com duas faixas, Tubular Bells part 1 no lado A e Tubular Bells part 2 no lado B. Isto, por si só, era completamente inovador à data. Este documentário da BBC permite-nos conhecer também a história do seu autor, Mike Oldfield. Desde a génese da obra, passando pelo seu meio familiar e social, até ao impacto do sucesso da obra no autor e as suas dificuldades de adaptação. 


Um documentário fascinante! Para além da Medicina, ou talvez não... A pessoa como um todo. 









So long, Leonard.

MGFamiliar ® - Saturday, November 12, 2016

Foto: Leonard Cohen & Marianne








"Há uma fenda em tudo. É assim que a luz entra."
Selected Poems, 1965-1968


Leituras adicionais:







Conhecer Sophia

MGFamiliar ® - Friday, September 09, 2016















Sophia de Mello Breyner Andresen








Um documentário de qualidade excepcional com testemunhos de pessoas que conheceram e conviveram com Sophia de Mello Breyner Andresen de forma muito próxima.

Para descobrir mais sobre este documentários...


 

Com Fúria e Raiva

Com fúria e raiva acuso o demagogo 
E o seu capitalismo das palavras 

Pois é preciso saber que a palavra é sagrada 
Que de longe muito longe um povo a trouxe 
E nela pôs sua alma confiada 

De longe muito longe desde o início 
O homem soube de si pela palavra 
E nomeou a pedra a flor a água 
E tudo emergiu porque ele disse 

Com fúria e raiva acuso o demagogo 
Que se promove à sombra da palavra 
E da palavra faz poder e jogo 
E transforma as palavras em moeda 
Como se fez com o trigo e com a terra 

Sophia de Mello Breyner Andresen, in "O Nome das Coisas"





Diálogo ao centro

MGFamiliar ® - Saturday, July 09, 2016





O voto do Brexit ensina-nos várias lições... Uma delas é a de que a “política contemporânea já não é sobre ser-se de direita ou de esquerda... A política contemporânea é sobre a globalização. E a linha fracturante da política contemporânea está entre aqueles que abraçam a globalização e aqueles que têm medo da globalização.”








 

“...As sociedades polarizadas são muito menos tolerantes em relação à globalização. É nas sociedades, como a Suécia no passado, como hoje o Canadá, onde há uma política ao centro, onde a direita e a esquerda trabalham em conjunto, que se torna possível encorajar e desenvolver atitudes inclusivas e de apoio em relação à globalização. E o que vemos no mundo hoje é um trágica polarização, a falta de um diálogo entre os extremos da política, e uma lacuna daquele centro liberal que possa incentivar a comunicação e um entendimento partilhado. Podemos não conseguir isso hoje, mas pelo menos temos que apelar aos nossos políticos e aos meios de comunicação social para deixarem cair a linguagem do medo e se tornarem muito mais tolerantes uns em relação aos outros.”






O sistema educativo que aniquila a criatividade

MGFamiliar ® - Sunday, May 29, 2016











No sistema educativo, a criatividade é tão importante como a literacia e deveriam ser tratadas como tendo o mesmo estatuto.








"Se não estivermos preparados para errar, nunca conseguiremos ser originais."

De mente leve e aberta a novas ideias, vale a pena ouvir Sir Ken Robinson, um expert em educação e sistemas educativos. Vale mesmo a pena partilhar estas ideias...


...