Prescrição Racional

Capas “anti-ácaros” para a prevenção de crises de asma


MGFamiliar ® - Sunday, March 04, 2018




Pergunta clínica: Em crianças com asma e alergia aos ácaros do pó da casa, a utilização de capas anti-ácaros para colchões, almofadas e edredões, reduz o risco de recurso ao hospital por crises de asma?

População: Crianças com idade entre os 3-17 anos com asma e alergia aos ácaros do pó. 
Intervenção: Capas anti-ácaros para colchões, almofadas e edredões.
Comparação: Capas para colchões, almofadas e edredões de aspecto idêntico, mas permeáveis aos ácaros.
Outcome: Recurso ao hospital por crises de asma.

Desenho do estudo: Estudo randomizado, duplamente cego, realizado em 14 hospitais com serviço de urgência pediátrica no noroeste da Inglaterra, entre novembro de 2011 e maio de 2013. Foram recrutadas crianças com idade entre os 3 e os 17 anos que tinham recorrido ao serviço de urgência pediátrica por crise de asma e que apresentavam alergia aos ácaros do pó da casa. As crianças foram distribuídas aleatoriamente em 2 grupos. Um grupo recebeu capas anti-ácaros para colchões, almofadas e edredões e o outro recebeu capas de aspeto semelhante mas permeáveis aos ácaros. O marcador (outcome) primário foi a ocorrência de crises de asma com recurso ao hospital durante os 12 meses de seguimento. Os marcadores secundários incluíram a alteração do tratamento de controlo desde o início do estudo até aos 12 meses e a avaliação da qualidade de vida e do controlo da asma. Foram incluídas no estudo 284 crianças, 146 no grupo da intervenção e 138 no grupo controlo.

Resultados: As crianças do grupo com capas anti-ácaros para colchões, almofadas e edredões tiveram significativamente menos crises de asma com recurso ao hospital em comparação com o grupo placebo após 12 meses (29,3% vs. 41,5%, p=0,047, número necessário para tratar=9). Relativamente aos marcadores secundários, não houve significância estatística na comparação entre os dois grupos. Também não se verificou diferença estatisticamente significativa entre os dois grupos no que concerne ao uso de corticoterapia. Aproximadamente metade das crianças em cada um dos grupos foi tratada com corticoterapia durante os 12 meses de seguimento. Cerca de 25% das crianças em cada um dos grupos referiu que as capas eram desconfortáveis.  

Comentário: A principal conclusão deste estudo é a efetividade das capas anti-ácaros para colchões, almofadas e edredões na redução das crises de asma com necessidade de recorrer ao hospital, com um número necessário para tratar baixo. Trata-se de uma medida relativamente simples, pelo que poderá ser aconselhada aos pais de crianças asmáticas com alergia aos ácaros do pó da casa. Contudo, trata-se de uma medida relativamente dispendiosa e pode, por esse motivo, ser de difícil acesso a uma parte importante da população portuguesa. Contudo, com um número necessário para tratar tão baixo, provavelmente, seria custo-efectiva a respetiva comparticipação pelo Serviço Nacional de Saúde. Não obstante, as medidas “tradicionais” para evitar a exposição a este alergénio continuam a ser pertinentes e ao alcance das famílias.

Artigo original: Am J Respir Crit Care Med

Por Isabel Rocha, UCSP de Penacova 









Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image


Recent Posts


Tags

 

Archive