Prescrição Racional

Hipotiroidismo subclínico em idosos: tratar vs não tratar


MGFamiliar ® - Monday, April 16, 2018




Pergunta clínica: Em idosos com hipotiroidismo subclínico, o tratamento com levotiroxina melhora os sintomas e qualidade de vida?

Enquadramento: O hipotiroidismo subclínico é definido pela elevação da hormona estimulante da tiróide (TSH) com tiroxina livre (T4 livre) dentro dos valores de referência e estima-se que afete 8-18% adultos idosos, sendo mais frequente nas mulheres. O cansaço é o sintoma mais frequentemente associado ao hipotiroidismo, contudo a maioria dos doentes é assintomático ou apresenta sintomas inespecíficos. A disfunção tiroideia subclínica é um problema prevalente nos idosos. No entanto, existe, ainda, controvérsia quanto à sua abordagem clínica. 

População: Adultos idosos com > 65 anos com hipotiroidismo subclínico (TSH 4,6-19,99 mIU/L e T4 livre dentro dos valores de referência)

Intervenção: Terapêutica com levotiroxina

Comparação: levotiroxina vs placebo

Outcome: sintomatologia de hipotiroidismo e cansaço

Desenho do estudo: Estudo multicêntrico, duplamente cego, randomizado com grupo controlo-placebo que incluiu 737 idosos com hipotiroidismo subclínico persistente.  Cerca de 368 doentes fizeram tratamento com levotiroxina (dose inicial de 50 μg/dia ou 25 μg/dia se peso < 50 kg ou se história de doença coronária) com ajuste de dose face níveis TSH subsequentes e 369 doentes fizeram tratamento com placebo, também com ajuste de dose. Os dois outcomes primários avaliados foram o score de sintomatologia de hipotiroidismo e o score de cansaço num questionário de qualidade de vida relacionado com tiróide (ThyPRO) ao fim de 12 meses.

Resultados: A média de idades da amostra foi de 74,4 anos e mais de metade dos doentes (53,7%) eram mulheres. Inicialmente, a média dos níveis TSH foi 6,40 ±2,01 IU/L e, no final de 1 ano, aumentou 5,48 mIU/L no grupo placebo e 3,63 mIU/L no grupo com levotiroxina 50μg/dia (P<0.001). Após 12 meses, não se verificaram alterações significativas no score de sintomatologia de hipotiroidismo (16.9±17.9 → 16.7±17.5 no grupo placebo e 17.5±18.8 → 16.6±16.9 no grupo do tratamento com levotiroxina) nem no score de cansaço (25.5±20.3→ 28.6±19.5 no grupo placebo e 25.9±20.6→ 28.7±20.2 no grupo do tratamento com levotiroxina). Os níveis de T4 livre não foram avaliados por rotina. Não foram descritos efeitos secundários relevantes.

Conclusão: A terapêutica com levotiroxina não apresenta benefícios em doentes idosos com hipotiroidismo subclínico.

Comentário:. Este estudo é pertinente pois apresenta evidência  da ausência de benefício de terapêutica com levotiroxina nestes doentes, ao contrário do que se pensava anteriormente. Porém, o estudo apresenta algumas limitações relevantes. A primeira é a ausência de doseamento de anticorpos anti-tiroideus, uma vez que, a evidência recente sugere que doentes com anticorpos positivos têm maior risco de progressão para hipotiroidismo. A segunda é que não foi avaliado o efeito da levotiroxina na incidência de eventos cardiovasculares ou na mortalidade, como tal, não se conseguiu inferir se este tratamento é protetor ou se causa dano.

Artigo original: NEJM

Por Beatriz Figueiredo, USF das Conchas




Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image


Recent Posts


Tags

 

Archive