Prescrição Racional

Estudo RCT: estrogénio vs lubrificante vaginal na pós-menopausa


MGFamiliar ® - Tuesday, January 15, 2019





Pergunta clínica: Em mulheres com sintomas vulvovaginais na pós-menopausa, o tratamento com estrogénio local é melhor do que o lubrificante vaginal ou placebo?

População: mulheres na pós-menopausa, com sintomas vulvovaginais moderados a graves
Intervenção: terapêutica com estradiol local
Comparação:
comprimido vaginal de 10-μg estradiol e gel vaginal placebo vs comprimido vaginal placebo e gel vaginal lubrificante vs comprimido vaginal placebo e gel vaginal placebo 

Outcome: severidade dos sintomas


Enquadramento:
Cerca de metade das mulheres na pós-menopausa relatam sintomas vulvovaginais. A evidência mais recente mostra que estes interferem significativamente na qualidade de vida, sendo comparável a outras doenças crónicas. As recomendações atuais incidem no uso de produtos tópicos vaginais. No entanto, ainda permanecem algumas questões relativas a estes tratamentos, nomeadamente custos associados e preocupações com segurança. Apesar de muitos médicos recomendarem o uso de lubrificantes vaginais, não há evidência científica que suporte esta recomendação.

Desenho do estudo: Ensaio clínico randomizado, multicêntrico, que incluiu cerca de 300 mulheres na pós-menopausa, com sintomas vulvovaginais moderados a graves (prurido, dor, secura, irritação vulvovaginal e dor com penetração). As participantes foram divididas em 3 grupos, sendo que cada um dos grupos realizou, durante 12 semanas, combinações de tratamentos diferentes (comprimido vaginal de 10-μg estradiol + gel vaginal placebo; comprimido vaginal placebo + gel vaginal lubrificante ou comprimido vaginal placebo + gel vaginal placebo). Os comprimidos vaginais eram aplicados diariamente durante as primeiras 2 semanas e posteriormente 2 vezes por semana. O gel vaginal era aplicado 3 vezes por semana. O outcome primário foi a diferença de severidade dos sintomas, classificados de 0 a 3 (nulo, ligeiro, moderado e severo), no início e fim dos tratamentos.

Resultados:
As 302 mulheres randomizadas nos três braços de tratamento, tinham uma idade média de 61 anos e a maioria era de raça caucasiana, casadas ou em união de facto, com elevado nível de escolaridade e sexualmente ativas. O sintoma relatado como mais incomodativo foi dor com penetração vaginal (182 [60%]), seguido por secura vulvovaginal (63 [21%]). A média da intensidade dos sintomas, no início do estudo, foi semelhante entre os grupos de tratamento. A adesão aos tratamentos (ou seja, utilização de >80% do tratamento fornecido) foi semelhante em todos os grupos. Verificaram-se reduções médias semelhantes na gravidade dos sintomas durante as 12 semanas: estradiol, -1,4 (IC 95%); lubrificante vaginal, -1,2 (IC 95%); e placebo, -1,3 (IC 95%). Não foi observada nenhuma diferença significativa entre o tratamento com estradiol (p= 0,25) ou lubrificante vaginal (p= 0,31) em comparação com o placebo.

Conclusão: Os resultados obtidos mostram não haver superioridade do comprimido de estradiol vaginal, nem do lubrificante vaginal em relação ao placebo, na redução dos sintomas vulvovaginais da pós-menopausa. É necessária uma melhor compreensão do mecanismo subjacente a estes sintomas de forma a melhorar as opções terapêuticas. A escolha do tratamento deve basear-se nas preferências individuais da mulher em relação ao custo e à formulação terapêutica. 

Comentário
: Este estudo justifica uma reflexão sobre aquilo que é a prática corrente. Segundo este estudo, e estradiol vaginal não é mais eficaz do que um gel lubrificante ou do que um lubrificante placebo no tratamento das mulheres com penetração dolorosa, secura vaginal ou outros sintomas geralmente associados à menopausa. A Sociedade Portuguesa de Ginecologia, tal como outras sociedades científicas internacionais, recomenda os estrogénios locais como tratamento de primeira linha no tratamento da síndrome genito-urinária da menopausa, sempre que não existam sintomas vasomotores associados nem contraindicações para o seu uso.

Artigo original: JAMA Intern Med

Por Mafalda David, USF Nova Via 



Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image


Recent Posts


Tags

 

Archive