Prescrição Racional

Utilização prolongada de bifosfonatos associada a risco de fratura


MGFamiliar ® - Tuesday, November 28, 2017



Pergunta clínica: Qual a associação entre o uso prolongado de bifosfonatos orais e fratura em mulheres mais velhas com alto risco de fratura?

Desenho de estudo: Estudo de coorte, retrospetivo. Os investigadores procuraram avaliar qual o risco de fratura em mulheres medicadas com bifosfonatos orais durante 2 ou mais anos. Tendo como ponto de partida aproximadamente 100.000 mulheres que integraram a Women’s Health Initiative em 2008-2009, os autores seleccionaram o subgrupo medicado com bifosfonatos orais durante pelo menos 2 anos e com risco de fratura a 5 anos igual ou superior a 1.5% (avaliado pela ferramenta “Fracture Risk Assessment Tool”). Critérios de exclusão: mulheres medicadas com fármacos que alteram o metabolismo ósseo (calcitonina, hormona paratiroideia ou inibidores da aromatase, por exemplo). Após aplicação dos critérios de inclusão e exclusão o grupo final incluiu 5120 mulheres (idade média de 80 anos, seguimento médio de 3,7 anos). Foi comparada a taxa de fraturas clínicas em mulheres medicadas com bifosfonatos orais durante 2 anos com as medicadas durante 3 a 5 anos, 6 a 9 anos e 10 a 13 anos.

Resultados: No total, foram identificadas 127 fraturas da anca, 159 fraturas do punho ou antebraço, 235 fraturas vertebrais e um total de 1313 fraturas clínicas (grupo composto por fraturas da anca, punho, antebraço, vertebrais e restantes localizações). Os autores verificaram que comparativamente ao tratamento durante 2 anos, o uso de bifosfonatos durante 10 a 13 anos associou-se a um aumento do risco de fratura clínica de qualquer tipo (HR=1.29; IC 95% 1.07 – 1.57), mesmo após tidos em conta outros fatores de risco de fractura. Esta relação entre a utilização prolongada de bifosfonatos e o risco de fratura subsequente manteve-se, mesmo quando analisadas apenas as mulheres com fratura após os 54 anos de idade.

Conclusão: Neste estudo de coorte, as mulheres mais velhas com alto risco de fratura que haviam cumprido bisfosfonatos orais durante 10 a 13 anos apresentaram maior risco de fratura do que as mulheres que utilizaram bifosfonatos por apenas 2 anos.

Comentário: Apesar de não existirem dados consistentes acerca da duração ideal do tratamento com bifosfonatos orais e de este estudo não ter incluído um grupo de controlo, os resultados parecem indicar que a utilização de bifosfonatos durante mais de 10 anos poderá apresentar mais riscos do que benefícios, reforçando a importância da prevenção quaternária. Estes resultados são pertinentes, com potenciais implicações para a prática clínica atual.

Artigo original:J Am Geriatr Soc

Por João Alves, USF S. João de Braga




Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image


Recent Posts


Tags

 

Archive