Maria João Xará

Do tempo de 2017 para o tempo de 2018


MGFamiliar ® - Thursday, January 04, 2018





Quando se encerra um capítulo, há sempre uma enorme vontade de planear o próximo. Uns escrevem num papel os seus desejos, outros ficarão pelo plano mental. Uns e outros sabem onde querem chegar e farão de tudo para descobrir a forma de o atingir. 

Terminado o ano de 2017, que foi um ano pessoal e profissionalmente muito exigente, o meu desejo centra-se numa palavra: TEMPO. Tempo para fazer em 2018 o que não fiz em 2017, tempo para sentir em 2018 o que não senti em 2017, tempo para dizer em 2018, o que não disse em 2017. 

Vivo (não viveremos todos?) a uma velocidade estonteante, tantas vezes quase cronometrada. Uma espécie de escrava da agenda. No entanto, este ano em particular, a grande maioria dos planos feitos e dos horários a cumprir saíram “furados”. Um atrás do outro. E com esses “furos” vão crescendo outros porque, perdendo algum do “controlo” do tempo, o resto do tempo também se “descontrola”. Fica a sensação de incapacidade e o tempo que resta, para além do conjunto de afazeres e tarefas, deixa de ter tanto sabor. 

Às vezes precisamos de descontrolar tudo para encontrar um novo controlo. Não deixar que o tempo que faltou para as tarefas contamine também o tempo que temos para o que é mais importante: a família, os amigos e nós próprios. 

Por isso, na entrada do novo ano senti que o mais preciso para 2018 é TEMPO. Alguns dos mais próximos receberam estes meus desejos: 

Que tenhamos tempo para amar, tempo para rir, tempo para abraçar, tempo para surpreender, tempo para conviver.

Que o relógio deixe de rodar a uma velocidade estonteante e nos dê o TEMPO que precisamos para sermos mais e melhores.

Acreditando que este meu desejo para 2018 seja também um desejo daqueles que me são mais próximos e, eventualmente, de uma parte significativa daqueles que vão ler estas palavras, alargo agora o desejo a todos vós. Que os próximos 365 dias estejam cheios de horas e minutos para concretizar tudo isto. Que o tempo de 2018 seja fértil no essencial e que esse essencial dê sentido a tudo o resto. 

Por Maria João Xará



P.S. Começo 2018 com uns minutos a escrever. Sabe bem ter tempo para isso.
 










Comments
Post has no comments.

Post a Comment




Captcha Image