Prevalência aumentada de doença celíaca em crianças com síndrome do cólon irritável


 

Pergunta clínica: as crianças com síndrome do cólon irritável têm uma probabilidade maior de ter doença celíaca?

Enquadramento: A dor abdominal recorrente é uma condição frequente durante a infância que está na origem de vários recursos aos cuidados de saúde. Os critérios de Roma III para diagnóstico do síndrome do cólon irritável (Adaptado de Longstrethet al. (2006) são: dor ou desconforto abdominal recorrente durante mais de três dias por mês nos últimos três meses, associado a, pelo menos, duas das seguintes características: melhoria com a defecação; associado a alterações na frequência das evacuações ou associado a variações na forma das fezes. O início dos sintomas devem preceder pelo menos seis meses a data do diagnóstico.

Desenho do estudo: Estudo de coorte prospetivo a 6 anos (2006-2012) conduzido num hospital nível 3 no sul de Itália com 992 crianças (42.8% do sexo masculino com mediana de idade de 6,8 anos) referenciadas por dor abdominal recorrente pelos seus médicos de família. Foram utilizados os critérios de Roma III para classificação nas seguintes entidades: síndrome do cólon irritável, dispepsia funcional, dor abdominal funcional ou enxaqueca abdominal. Foi calculada a prevalência de doença celíaca em cada categoria de dor abdominal. Para o diagnóstico de doença celíaca foram efetuados doseamentos de IgA, anticorposanti-transglutaminase, e anticorpos anti-endomísio. Em caso de anticorpos positivos, realizou-se biópsia duodenal.

Resultados: Do total de 992 crianças: 270 foram diagnosticadas com SII, 201 com dispepsia funcional e 311 com dor abdominal funcional. No total foram excluídas 210 crianças por apresentarem patologia orgânica ou outras doenças gastrointestinais funcionais não relacionadas com dor abdominal. Foram realizados testes serológicos em 782 casos, sendo 15 positivos para doença celíaca – as crianças com SII tiveram um risco 4 vezes superior de ter doença celíaca do que aquelas sem SII (odds ratio, 4.19 [95% CI, 2.03-8.49]; P < .001).

Conclusão: A prevalência de doença celíaca em crianças com síndrome do cólon irritável foi 4 vezes superior relativamente à população pediátrica em geral. A utilização dos critérios de Roma III pode ser útil para a seleção das crianças que beneficiam de despiste de doença celíaca.

Comentário: Este estudo demonstra, à semelhança da população adulta, que a prevalência de doença celíaca é maior na população de crianças com diagnóstico de síndrome do cólon irritável. O síndrome do cólon irritável é um transtorno intestinal funcional crónico, recidivante, definido por critérios diagnósticos baseados em sintomas, na ausência de causas orgânicas. Não obstante, o quadro sintomático não é específico, pois os sintomas podem apresentar-se ocasionalmente em qualquer indivíduo. Este estudo propõe-nos a possibilidade de despiste de doença celíaca em crianças com diagnóstico de síndrome do cólon irritável, em particular naquelas com repercussão no crescimento e que não respondem à terapêutica.

Artigo original:JAMA

Por Célia Oliva, USF Além D’Ouro

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Fill out this field
Fill out this field
Please enter a valid email address.
You need to agree with the terms to proceed

A não perder
Menu