Intervenções comportamentais diminuem a prescrição inadequada de antibióticos

 

 

 

Pergunta clínica: Qual o efeito de diferentes intervenções comportamentais na prescrição inadequada de antibióticos pelos médicos dos cuidados de saúde primários (CSP)?

População: médicos de CSP
Intervenção: pop-up com alerta para as alternativas terapêuticas não antibióticas; justificação da prescrição de terapêutica antibiótica em texto livre; e-mails comparando a prática de cada médico com o melhor desempenho (menor taxa de prescrição inadequada)
Comparação: nenhuma intervenção
Outcome: taxa de prescrição inadequada de antibióticos para infeções respiratórias e ausência de razão para a prescrição antibiótica

Desenho do estudo: Ensaio clínico aleatorizado por cluster que recrutou 248 médicos de 49 clínicas de CSP nos EUA. Todos os profissionais incluídos receberam formação sobre as guidelines de terapêutica antibiótica em infeções respiratórias agudas. Foi realizada aleatorização das unidades de saúde para receberem durante 18 meses as seguintes intervenções: 0- nenhuma intervenção (grupo controlo); 1- pop-up com alerta para as alternativas terapêuticas não antibióticas; 2- justificação da prescrição de terapêutica antibiótica em texto livre; 3- e-mails comparando a prática de cada médico com o melhor desempenho (menor taxa de prescrição inadequada). Foram considerados como prescrição inadequada de antibiótico os diagnósticos de infeção respiratória alta inespecífica, bronquite aguda ou infeção por Influenza. A taxa de prescrição inadequada de antibióticos para infeções respiratórias e ausência de razão concomitante para a prescrição antibiótica foram os marcadores (outcomes) primários.

Resultados: Foram incluídas 31.712 consultas em CSP (14,753 no período base e 16,959 durante o período intervenção). As prescrições médias de antibioterapia decresceram em todos os grupos: de 24,1% para 13,1% no grupo controlo; de 22,1% para 6,1% no grupo com pop-up com alternativas (P=0,66); de 23,2% para 5,2% no grupo em que era pedida justificação (P<0,001); de 19,9% para 3,7% no grupo de comparação interpares (P<0,001). As intervenções que levaram a uma maior redução da prescrição inadequada de antibióticos nas infeções respiratórias agudas foram a justificação da prescrição de terapêutica antibiótica e a comparação interpares.

Comentário: O estudo centrou-se numa temática relevante atualmente, uma vez que a prescrição inadequada de antibioterapia resulta no aumento de resistência bacteriana, maior risco de efeitos secundários e incremento dos custos em saúde. Devem ser consideradas algumas limitações neste estudo, como o possível contacto entre os profissionais durante o período de intervenção e o facto dos médicos terem recebido incentivos monetários para participar no estudo.

Artigo original: JAMA

Por Mariana F. Santos e Carolina Pereira, USF Linha de Algés

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Fill out this field
Fill out this field
Please enter a valid email address.
You need to agree with the terms to proceed

Prescrição Racional
Menu