Tratamento da cólica biliar: AINEs ou opióides?

Por Liliana Sousa, UCSP Barão do Corvo


Pergunta clínica: Serão os anti-inflamatórios não esteróides (AINEs) tão eficazes como os opióides no tratamento da dor e na diminuição das complicações da cólica biliar?

Comentário: A cólica biliar é uma manifestação comum de colelitíase e desenvolve-se em aproximadamente 1/3 desses doentes. Colli et al., nesta metanálise publicada em Abril de 2012, investigaram os benefícios dos AINEs no tratamento da cólica biliar no que respeita ao controlo da dor, à redução das complicações e efeitos adversos desta classe terapêutica. Incluíram 11 estudos aleatorizados e controlados, envolvendo 1076 doentes, e compararam o uso de AINEs em doentes com cólica biliar com outras drogas (opióides e espasmolíticos), com placebo ou sem tratamento.
A administração de AINEs injectáveis (o fármaco Diclofenac intramuscular e o Cetoprofeno 200mg intravenoso foram os mais estudados) resultou no alívio da dor na maioria dos doentes, 2 horas mais cedo do que o placebo (Risco Relativo [RR] = 3,77, 95% CI; 1,65-8,61) e também diminuiu o risco de colecistite aguda para cerca de metade em comparação com o placebo (RR = 0,52; 95% CI; 0,31-0,89). Por outro lado, o fármaco Cetorolac e o Flurbiprofeno administrados por via intramuscular foram tão eficazes como a Meperidina (RR = 1,05; 95% CI; 0,82-1,33), muitas vezes escolhida pela vantagem de prevenir o espasmo do esfíncter de Oddi.
Quanto à qualidade dos estudos incluídos, verificou-se uma grande heterogeneidade entre os estudos e um número reduzido de estudos de boa qualidade.

Conclusão: Esta metanálise sugere que os AINEs injectáveis, mais concretamente o Diclofenac, diminuem o número de casos de colecistite aguda e são fármacos equivalentes à Meperidina no tratamento de doentes com dor biliar aguda devido a colelitíase aguda (LOE = 1a). Assim, os autores consideram que o tratamento da cólica biliar deve ser iniciada com um AINE injetável, enquanto a introdução de opiáceos deve ser reservada para a dor refractária.



Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Fill out this field
Fill out this field
Please enter a valid email address.
You need to agree with the terms to proceed

Prescrição Racional
Menu