Guidelines: follow up após cancro da próstata


Pergunta clínica: como efectuar o follow up dos sobreviventes de cancro da próstata?

Enquadramento: o número de doentes com cancro da próstata tem vindo a aumentar. Isto deve-se ao diagnóstico precoce, eficácia do tratamento, sobrevivência a longo prazo e ao sobrediagnóstico. A American Cancer Society (ACS) considerou existir uma lacuna no âmbito dos cuidados de saúde primários relacionada com o follow up destes doente, pelo que publicou recentemente um conjunto de recomendações.

Tipo de estudo: guidelines, resultantes do consenso entre peritos multidisciplinares,  baseado em revisão da evidência disponível.

Resultados: 

– Para controlo da recorrência da doença, a ACS recomenda o doseamento PSA a cada 6-12 meses nos primeiros 5 anos após tratamento definitivo; e anualmente nos anos subsequentes. Em caso de valores de PSA elevados ou em tendência crescente, o paciente deve ser referenciado novamente ao serviço da especialidade que o acompanhou anteriormente. 

– Clinicamente deve ser feito o acompanhamento dos efeitos tanto físicos como psicossociais da doença oncológica e do seu tratamento. Em termos gerais, os grandes efeitos a ter em conta são: a disfunção urinária e sexual, assim como a ansiedade, depressão e problemas socais e laborais. 

– Em termos particulares, deve-se estar alerta para o facto de, por exemplo: 1) doentes tratados com radioterapia têm risco aumentado de cancro vesical e colo-rectal; 2) doentes sujeitos a privação androgénica têm risco de anemia, por isso devem ser feito um controlo anual do hemograma. 

Comentário: A construção destas guidelines baseou-se num número reduzido de artigos disponíveis sendo estes de carácter observacional e versam sobretudo a população dos EUA. Mesmo assim penso que não é desadequado aplicar as recomendações na nossa prática diária. O artigo original inclui quadros resumo e instrumentos de avaliação que podem ser úteis. O médico de família tem um papel importante no seguimento destes indivíduos tendo em conta a leges artis.

Artigo original: “CA: A cancer journal for clinicians”

Por Sandra Amaral, USF S. Julião 

A não perder
Menu